Stress, nem vê-lo! Estou de Férias…

DE FÉRIAS - a Relaxar ou a Stressar?

0
293

Stress, nem vê-lo!

Stress, ainda em pleno mês de Agosto, mas já mas com um olhinho na preparação do ano lectivo que se avizinha a passos largos, vale a pena reflectirmos um pouco sobre o período das férias.

Numa altura em que todos os caminhos vão dar ao Algarve, e esta bela localidade se enche de turistas nacionais, estrangeiros e residentes, não é difícil encontrar filas para o pão, para o café, para o bolo, para a sopa, para a praia, para estacionar, para sair do estacionamento, para visitar o amigo, para ir à casa da mãe, da tia, da prima, enfim, para nos movimentarmos mais a sul.

Se é verdade que por vezes se torna difícil fazer qualquer actividade, quanto mais não seja estender a toalha na praia, será esta uma forte razão para nos fazer explodir? As filas de supermercado com carrinhos lotados e as prateleiras do mesmo “saqueadas” (como outro dia uma amiga me dizia) serão motivo suficiente para nos irar até aos píncaros e nos fazer ter um acesso de raiva?

Mas por mais surpreendente que seja (sim é verdade que nesta altura do ano tudo se complica a sul), não estamos de férias? Não é esta a altura do ano por excelência que a maior parte das pessoas escolhe, ou pode tirar uns dias para relaxar? Já todos sabemos que vamos encontrar filas no restaurante, que vamos ter que esperar, que vamos passar algum tempo (demasiado) no trânsito, mas que tudo isso é normal, é verão e ainda por cima é Agosto e este mês no Algarve vira enchente.

Mas não!! Não é isso que acontece.

É normal que experimentemos algum nível de stress, mas porque não canalizá-lo para outros fins, como por exemplo “Olha já que temos que esperar um pouco mais para sentar à mesa, vamos olhar para ver quem é que está com ar de que está quase a sair e cada um vai fazer uma aposta numa mesa” ao invés de alimentar a raiva e naturalmente de ampliar o stress, como por exemplo assim: “Aqueles ali já acabaram de jantar e estão a fazer de propósito para se demorarem mais… e eu que estou cheio de fome tenho que estar aqui a aturar isto, era só o que me faltava… daqui a pouco vou ali e digo-lhe das boas…”

Se formos a uma fila de supermercado e encontrarmos o cenário acima descrito (filas para as caixas e carros atulhados de compras), que alternativas temos? Ou vamos embora e tentamos outro supermercado, ou vamos a outras horas, ou então contrariamos o que estamos a sentir, usamos e abusamos do humor, e transformamos esta actividade em algo menos penoso; “olha, parece que vamos ter que passar mais tempo em família numa fila de supermercado, do que na própria praia 🙂 quem tem ideias para, não digo, passar um bom momento, mas um momento mais agradável :)?” ao invés de se deixar inundar por este tipo de discurso: “Mas que chatice, é sempre a mesma coisa, esta gente parece esfomeada, era só o que me faltava, mais esta agora, não tenho paciência nenhuma para estas filas, mas que horror e esta malta toda em cima de mim, que raiva…”

Se estamos de férias, quais as maiores complicações que se nos afiguram? Sim, de facto pode não ser agradável, mas se não soubermos contornar, controlar as nossas emoções e desfrutar das nossas férias, mesmo com todos os percalços, chatices e complicações que possamos sentir, como vamos ensinar os nossos filhos a saberem esperar, a não explodirem à mínima, a saberem olhar para o lado positivo, mesmo numa tarefa ou actividade aborrecida, cansativa…

E mais, se nem em período de férias somos capazes de nos acalmar, esperar a nossa vez, relaxar e desfrutar, o que nos acontecerá fora deste período?