Tânias Paias explica o que é Cyberbullying.

0

Tânia Paias fala sobre Cyberbullying no programa “A Tarde é a sua”.

 

Não Me Calo

0

Hoje, no Dia Mundial de Combate ao Bullying divulgamos uma das histórias que integra um projeto que dois jovens decidiram levar a cabo:

O Projeto NÃO ME CALO

Esta é a história do João.

Para o João, a palavra gay nunca foi uma ofensa. Habituou-se a ouvi-la desde tenra idade, aquela em que ainda não é suposto ter-se contacto com a maldade das pessoas. Encarava esta palavra pacificamente porque a sua mãe o educou bem. Contudo, os colegas e conterrâneos do João tentavam rebaixá-lo repetidamente com injúrias como paneleiro, bicha, MARICAS ou mariconço.

Não foram raros os casos de assédio verbal, de empurrões nos intervalos e de material escolar roubado ou danificado. Também não foram raras as vezes em que o João chegava a casa e, por vergonha ou receio de represálias, se calava e fingia que estava tudo bem.

Mais grave ainda, aquele ambiente de opressão e ódio parecia ser completamente aceite por alguns professores e funcionários da sua escola, no Sardoal. Virava-se a cara e fechava-se um olho “porque era filho deste, filho daquela”. Perpetuava-se, assim, a desculpabilização e normalização daquele tipo de comportamentos ofensivos. Atualmente, muitos desses professores e funcionários ainda trabalham na escola antiga do João, mas ele tem esperança de que ela agora seja habitada por uma geração de alunos muito diferente daquela com a qual ele se cruzou na época.

A exposição a este tipo de ódio e maldade nos seus anos formativos mais importantes explica muitas das complicações que o João transportou para a vida adulta. Ele era um jovem altamente ansioso e dependente das expetativas dos outros; era acanhado, envergonhado e calado. Era-o porque o ambiente a que esteve exposto o ensinou a ser desconfiado, a procurar a maldade em cada gesto.

Hoje, o João conseguiu ver-se livre desses complexos e dessas companhias. Deixou florescer uma pessoa que ele acredita que sempre foi: aberta, dinâmica, interessada, (demasiado) faladora e que aprende, um pouco todos os dias, a ver a bondade antes da maldade.

Durante muito tempo, o João aceitou a negatividade que vinha daquelas ofensas. A superação desse ódio, que ele acredita ser fruto da ignorância típica de quem não teve uma boa educação, vem com o ignorar ou dar a cara por isso. Quando se aceita a ofensa com um sorriso e só se devolve educação e postura desarma-se o agressor: E DAÍ? Vem daí.

Fogo à Peça – Bullying com Tânia Paias

0

A convidada de Alexandre Honrado para esta edição é Tânia Paias que nos vem falar do Bullying e do seu livro “Tenho Medo de Ir à Escola”.

Festas Felizes

0
Feliz Natal

Desejamos-lhe umas festas
repletas de amizade, entreajuda e companheirismo. Que 2018 mostre que a diferença é apenas uma perspetiva e que não existem certos ou errados no que toca à diversidade.

 

Siga a nossa página e esteja connosco em mais um ano de combate ao bullying e promoção das boas relações (em 2018 serão 8 anos). Tratemos novidades e poderá fazer parte destas.

acompanhe-nos também no facebook, yotube, twitter.

Material de Prevenção e Combate ao Bullying

0
bullying-outubro

Num mês dedicado à prevenção, e quase quase a chegar o dia Mundial de Combate ao Bullying, reunimos uma série de material para impressão.

Sensibilizar os jovens, é fazer-lhes chegar informação, é ajudá-los a pensar, é mobilizá-los por uma causa.

Este material pode ser usado nas escolas, mas nas casas particulares também, no quarto dos jovens….

No quarto? poderão pensar!

Sim…, se nos quartos existe espaço para o poster do ídolo, da pessoa ou imagem que de alguma forma é uma fonte de inspiração, de veneração para o jovem, porque não também colocar um cartaz desta índole, com algo que lhes sirva de inspiração, uma onda motivadora, para que, a cada dia, a cada hora, recorde o que ainda pode fazer para ser melhor pessoa (para si e para os outros). Uma pequena chamada de atenção para como se deve comportar, o que pode e deve fazer, mas também o que não pode e não ver realizar, e acima de tudo, como se deve proteger.

Amanhã, 20 de Outubro – Dia Mundial de Combate ao Bullying, deixamos-lhe este desafio. Imprima estes cartazes e sensibilize para esta causa:

Descarregue-os em O TEU ESPAÇO

 

 

Prova Oral – Bullying com Tânia Paias

0
prova-oral-bullying-tania-paias
Prova Oral com Tânia Paias

Fernando Alvim convida Tânia Paias para o programa Prova Oral. O mote para esta conversa é sobre “Tenho medo de ir à escola”. A autora Tânia Paias, Psicólogo de profissão e diretora do PortalBullying escreveu este livro recorrendo a casos reais para tenta dar respostas concretas às dúvidas que assaltam pais, educadores e os próprios jovens. Afinal, o bullying é algo muito real e sérioe não podemos fechar os olhos – é preciso atuar.

Fonte: Prova Oral

Pergunte aos seus filhos: os pais são bondosos?

0
Sea Sunsets Lifestyle Beach Happiness Family

Pois é, o mês das castanhas, da jeropiga, do verão de S. Martinho, já está de saída. Este que é um mês, por norma, fresco, mas com um par de dias em que o sol desponta e nos dá uma temperatura ideal para brincar de vendedores de castanhas e realizar 1001 atividades de exterior, vai agora descansar para chegar outro mês igualmente encantador. Se em novembro impera a lenda de S. Martinho e todos os valores a esta associado, Dezembro, com a sua época natalícia, aponta no mesmo sentido. Se nestes meses vivemos impregnados de conceitos que apelam à partilha e à bondade, porque não agarrar nestas temáticas e aproveitar para nos deleitarmos aos serões em torno destes valores tão nobres.

Agarrar nas lendas, nas épocas festivas, para desenvolver conversas em família, é um bem inestimável para a felicidade familiar. Reunirmo-nos em torno de um tema, olharmos para ele por entre os olhos de cada um dos membros, é de uma riqueza enorme, pois de forma simples e divertida, podemos ver como são os nossos filhos, o que pensam e como verbalizam o que sentem.

Se por vezes, nesta árdua tarefa de educador, ficamos confusos e sem saber se o que estamos a fazer é o mais acertado; imaginem os nossos filhos. Por isso, nada melhor que falar, nada melhor que nos questionarmos constantemente, pois é através de que progredimos e nos tornamos, a cada dia, melhores pessoas, melhores educadores, e melhores famílias. Pois então, e se novembro e dezembro nos trazem a bondade e a partilha, porque não começam por partilhar as suas dúvidas?

Provavelmente as maiores interrogações das famílias prendem-se com o dar o melhor exemplo, com a transmissão destes valores, com o saber se estarão a conseguir incutir o conceito de bondade e partilha de forma adequada, se serão capazes de fazer com que se descentrem da sua visão egoísta e individual. E acima de tudo, se estarão a fazer com que estes entendam a real dimensão das coisas e saibam ser ativos, passivos quando necessário, defensores, protetores, mas também guerreiros. 

Se todas estas dúvidas nos assolam, como esclarecê-las?

Através da partilha de experiências, é claro.

Podemos perguntar aos nossos filhos o que é para eles significa a palavra bondade e partilha;

se consideram que os seus pais são bondosos;

se acham que poderiam mudar algo para que fossem mais bondosos;

se gostariam que alguém fosse mais bondoso para eles;

se sabem ser bondosos, mas também defensores dos seus direitos e deveres…

Por entre estas pequenas questões podemos encontrar grandes ideias e acima de tudo grandiosas perspetivas e formas única de sentir as coisas. É que nem sempre os nossos filhos sentem e vêm as coisas da mesma forma que nós, aliás são raras as vezes em que isso acontece, e quase sempre, com a correria diária que a vida nos imprime, esquecemo-nos de aceder ao seu mundo interno e à sua peculiar forma de pensar a realidade.

Aproveite então e conte lendas, agarre nos dias temáticos e façam tertúlias caseiras, brinquem ao faz de conta, troquem de posições. Sejam os filhos e os vossos filhos os pais e façam as coisas acontecer. Vão ver que se vão surpreender com a forma como os vossos filhos consideram a tarefa de ser pai, e talvez se surpreenderão com a posição de ser filho, de ter aquela idade… e de fazer de um acontecimento simples, um problema daqueles.

Todos nós já tivemos aquela idade e se a ela voltarmos, bem sabemos o quão difícil pode ser…

Por isso, aproveite estes momentos que cada mês nos traz e reúna a família e debata as temáticas a eles associadas de forma descontraída e divertida. São estes momentos que tornam as famílias únicas e o local onde nos sentimos seguros e confiantes. Do qual temos inevitavelmente que sair, mas para onde apetece sempre voltar.

 

Fonte: pumpkin.pt

Data: 21 Out 2016

Bullying: o que é e como lidar?

0
A nossa contribuição para a PumpKin, aqui fica um excerto do artigo:

Dia 20 de Outubro assinala-se o Dia Mundial do Combate ao Bullying.

Nesta data tão importante, partilhamos este texto do Portugal Bullying, cuja mensagem não podemos deixar de sublinhar. Pais e professores podem encontrar neste portal material para descarregar e poder ser utilizado pelas escolas, numa forma de promover a consciência entre as abobrinhas.

Hoje é o dia mundial de combate ao Bullying.

Sabemos o que o Bullying é? Fazemos ideia das consequências do bullying? Sabemos distinguir um agressor de uma vítima? Conseguimos traçar perfis tipo para cada um deles?

A todas estas questões provavelmente todos dizemos que sim, pois de Bullying já todos percebemos, já todos, de uma forma ou de outra, ouvimos falar, sabemos o que é e até já lermos sobre, por isso, essa história do Bullying outra vez?…

Sim, outra vez. Pois falar de Bullying é muito mais que isto. Por vezes esta palavra, carregada de um simbolismo negativo, de uma banalização perigosa, faz com que desvalorizemos questões que necessitam de ser pensadas, olhadas e revisadas.

Falar de tudo isto é falar de nós, do que sentimos, do que vivemos, do que nos motiva, do que nos alegra, entristece, enfim é falar dos nossos sentimentos mais profundos, é conectarmo-nos com as emoções, pois sem emoção não funcionamos, ou melhor, podemos funcionar, mas convenhamos, não é a mesma coisa.

Somos seres de emoções, somos seres de razão, somos seres de contradição, mas somos seres de paixão

Continua…

Escolas deviam poder denunciar casos de bullying

0
vitimas-de-bullying
Vítimas de bullying

Escolas deviam poder denunciar casos de bullying, defende coordenador de tribunal de menores

O coordenador do Tribunal de Família e Menores de Lisboa defendeu, esta quinta-feira, que o bullying devia ser considerado um crime público, podendo as escolas denunciar os casos de perseguição e humilhação continuada ao Ministério Público.

Ler mais em: http://www.tsf.pt/

Superprotecção dos jovens faz aumentar casos de bullying

0

Superprotecção dos jovens faz aumentar casos de bullying, alerta psicóloga

Margarida Gaspar de Matos, professora da Faculdade de Motricidade Humana, disse, esta quarta-feira, à TSF, que o fenómeno do bullying aumenta devido à superprotecção dos mais novos.

Ler mais em: http://www.tsf.pt/

A não perder

Os Mais populares

Últimos Notícias